Fronteira, desenvolvimento e Território em Barrancos

Teve lugar no passado dia 18 de Dezembro mais uma edição do ciclo de debates do projecto em.cantos, sob o título “Fronteira e Território: desafios e riscos”.O presidente da Câmara Municipal de Barrancos, António Tereno, referiu que o concelho é uma “fronteira tripla”, com a Estremadura espanhola, a Andaluzia e o Alto Alentejo e que essa particularidade só não tem sido um factor de desenvolvimento devido às “políticas desadequadas” dos governos de ambos os lados da fronteira. Segundo o autarca, a autonomia do Alentejo, com a regionalização, poderá ser um factor gerador de desenvolvimento.Raul Lopes, especialista em Desenvolvimento Regional e Territorial defendeu a fronteira como elo de união entre vizinhos, que permita ganhar massa crítica e a cada região valorizar no mercado aquilo que tem de especial.Nuno da Câmara Pereira, líder do Partido Popular Monárquico, também presente no debate como artista convidado desta edição, defendeu a deslocalização de empresas para o Alentejo, com recurso a incentivos fiscais, como forma de desenvolver a região e mutar a tendência de desertificação que a assola.O próximo em.cantos terá lugar no próximo dia 29 pelas 18h no Fórum Municipal de Castro Verde.

Categoria: Reportagem
Acerca do Autor
- Alenproduções - Comunicação e Imagem, unipessoal, LDA. Somos uma empresa especializada na execução e conceção de projetos integrados de comunicação. Produzimos conteúdo vídeo em várias vertentes como é apresentado nesta página. Se precisar dos nossos serviços, contacte-nos através dos contactos nesta página para agendar uma reunião.